Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Só Mundo

Numa Escola inclusiva/ democrática, um espaço de partilha, aprendizagem e reflexão.

Um Só Mundo

Numa Escola inclusiva/ democrática, um espaço de partilha, aprendizagem e reflexão.

A História da Páscoa

 

egg-328408_1280 from Pixabay

 

 

Como é que se explica a Páscoa a crianças? Parece complicado, mas deve ser um processo natural. Tal como o Natal, a Páscoa é um feriado cristão, uma festa pagã.

 

Obviamente que parece mais fácil explicar o Natal: celebra-se o nascimento do Menino Jesus, os presentes aparecem dos 3 Reis que seguiram a estrela para conhecer o Menino. Celebra-se o amor. E, inicialmente, é o suficiente. Com o crescimento e maior entendimento da vida, torna-se mais fácil acrescentar informação de valor a esta história.

Agora a Páscoa… Como se explica a ressurreição de Cristo? Como se explica a morte de “Menino” Jesus? E, sendo filho de Deus, como deixa Deus morrer o seu filho? Onde entra o Coelho?

Tudo isto é muito complicado na cabeça de uma criança. Tal como uma história, onde podemos acrescentar pormenores, aqui devemos ir por partes. Não vale a pena explicar tudo de uma vez. Uma criança muito pequena não terá capacidade de compreender Cristo a ser crucificado. Mas se for uma criança habituada a ir à missa, de certeza que já começou a apanhar alguma parte da história, nem que seja pelas imagens e estatuárias. Agora, trata-se de unir os pontos. Assim, deixamos algumas dicas

Para explicar a morte de Cristo, escolha um momento em que tenha tempo para contar uma história. Sim, deve começar como se tratasse de uma história infantil. Não é preciso entrar em grandes pormenores. Cristo era muito bom e ajudou muita gente. Na sua época conseguiu mudar muita coisa, e por isso apareceram alguns inimigos, que acabaram por pendurá-lo na Cruz.

Logo de seguida, pode passar à parte em que Cristo ressuscitou. E foram apenas três dias depois. É isso que celebramos, a ressurreição de Cristo.

Aqui chegamos aos ovos da Páscoa: os ovos representam o renascimento. Inicialmente eram pintados à mão com cores vivas e motivos florais, para representar a Primavera. Ah, porque a Páscoa celebra-se no solstício de Primavera! O que nos leva ao Coelho da Páscoa: que animal poderia representar melhor a fertilidade e a primavera?

 

Um vídeo explicativo a utilizar junto dos seus pequenos.

 

 

 

 

Fonte

KIDS, U. (2016). A história da Páscoa para crianças – Up To Kids. Up To Kids. Acedido a 25 março 2016, de http://uptokids.pt/opiniao/a-historia-da-pascoa-para-criancas/

 

Elogio aos Pais

baby-22194_1920 at pixabay

 

Vamos aplaudir os pais?

Sim, aquela figura normalmente associada à expressão dura e quantas vezes, despreocupada com a educação dos filhos. Os pais que aqui elogiamos são:

 

 

  • Os que sabem que não existem apenas para “ajudar” a mãe quando ela precisa.
  • Os que voltam a ser crianças perto dos filhos.
  • Os que nunca descem da pose mas são os maiores pais que há.
  • Os pais que brincam e se sujam.
  • Os que não deixaram de ser quem são depois de terem sido pais.
  • Os pais que ficam cansados mas depressa recuperam.
  • Os que ficam na ronha com os filhos ao sábado de manhã.
  • Os pais que aproveitam o sábado de manhã para ir andar de bicicleta com os filhos.
  • Os que ensinam.
  • Os pais que explicam e não se escusam com o “não ias perceber”.
  • Os que reconhecem que não sabem tudo.
  • Os pais que são solteiros e se desdobram em mil para que nada falte.
  • Os que são separados e se desdobram em mil para que nada falte.
  • Os pais que estão juntos e se desdobram em mil para que nada falte.
  • Os pais que ouvem Panda e os Caricas no carro porque isso deixa a prole feliz.
  • Os que fazem questão de ouvir rádio no carro para a prole ter contacto com todos os tipos de música.
  • Os pais que ajudam a fazer os trabalhos de casa.
  • Os que estão longe e do longe fazem perto.
  • Os pais que estão perto e aproveitam essa sorte.
  • Os que não deixam as más ou boas relações com a mãe interferir no tipo de pai que são.
  • Os pais que não ofendem os filhos nem os culpam pelos seus erros.
  • Os que sabem pedir desculpa.
  • Os pais que erram, mas que tentam ser melhores.
  • Os que têm sentido de humor e se divertem com as traquinices dos filhos.
  • Os pais que sabem vestir os filhos com as peças de roupa a condizer.
  • Os pais que vestem os filhos como se tivessem tirado a roupa do roupeiro às escuras.
  • Os que incentivam os filhos a chegar mais longe.
  • Os pais que sabem reconhecer que os seus filhos não são perfeitos.
  • Os que sentem orgulho dos filhos e lhes dizem.
  • Os pais que sentem orgulho dos filhos mas só o demonstram sem dizer.
  • Os que inventam histórias na hora de ir dormir.
  • Os pais que sabem os nomes das princesas dos desenhos animados.
  • Os que trauteiam a música dos ”coloridos” ou da “ovelha choné”.
  • Os pais protectores.
  • Os que deixam os filhos cair para aprenderem.
  • Os pais que repreendem os filhos.
  • Os que sempre sonharam ter tantos filhos quanto jogadores numa equipa de futebol.
  • Os pais que nunca quiseram deixar um legado e se surpreendem todos os dias.
  • Os pais que não desistiram quando tiveram um filho com algum tipo de doença ou deficiência.
  • Os que tiveram medo no princípio mas depois perceberam que o medo só os tornava humanos.
  • Os pais que tiveram sempre tudo sobre controlo e hoje percebem que não controlam nada.
  • Os pais que dormem bem.
  • Os que não conseguem dormir bem.
  • Os pais que sabem a sorte que é poder dar banho, dar jantar, estar presente.
  • Os pais que são pais.

Seja de que forma for.

Feliz dia do Pai!

 

Coelho, Marta (2016). Elogio aos Pais. Extraído de Up To Kids, acedido em http://uptokids.pt/opiniao/elogio-aos-pais/, às 8.18 p.m.

Promover Competências Chave para a Preparação para o 1.º Ciclo

play by Pixabay

 



   A entrada para a escola é uma realidade obrigatória para todas as crianças a partir dos 6 anos de idade, porém, o mesmo não acontece com algumas crianças em idade pré-escolar, que por opção dos pais, por falta de vagas na escola pública e/ou por impossibilidade financeira de recorrerem ao ensino privado, optam ou são obrigados a encontrar alternativas para os seus filhos.

A não frequência da escola em idade pré-escolar, não é, no entanto, sinónimo de não educação ou de não preparação da criança para a entrada no ensino formal.

 

   Sabemos que o cérebro da criança nos primeiros 5 anos de vida está particularmente activo, atingindo 90% do tamanho adulto. Como tal, em casa ou na escola, é fundamental estimular o desenvolvimento global da criança, através da promoção de competências sociais, emocionais e intelectuais, consideradas chave para a vida adulta e para a entrada no ensino formal. É por isso, importante, envolver a criança em actividades que estimulem estas competências chave.

 

   Se para a maior parte dos profissionais da área da educação, estes são fundamentos inerentes à sua prática profissional diária, para os pais, avós ou outros adultos que ficam responsáveis a tempo inteiro pela criança, nem sempre é assim tão simples.

Por este motivo, aqui ficam algumas dicas, que o vão ajudar a promover na criança, as competências necessárias à sua entrada no ensino formal:

 

Competências Intelectuais

 

⁃ Ler histórias

⁃ Cantar e ensinar cantigas, rimas e/ou lenga-lengas

⁃ Ensinar uma letra – mostrar à criança palavras e objectos começados por uma letra, de preferência palavras com significado para a criança – (exemplo: Letra A – Água, Árvore)

⁃ Ensinar a criança a contar – (exemplo: contar os brinquedos, ou os carros que passam na rua)

⁃ Ensinar as cores – (exemplo: “Vamos procurar a cor verde!”);

⁃ Brincar às construções

⁃ Brincar ao faz de conta – (exemplo: fingir que somos cozinheiros e vamos preparar o almoço; fingir que somos animais, etc.)

 

Competências sociais

 

⁃ Levar a criança ao parque infantil

⁃ Levar a criança ao café, ao supermercado, etc.

⁃ Participar em workshops ou espetáculos para crianças

⁃ Proporcionar o convívio e a interacção com outras crianças e adultos

 

Competências artísticas

 

⁃ Desenhar, pintar com diferentes objectos (pincéis, esponjas, escovas de dentes, etc.), fazer colagens, brincar com plasticina.

Competências musicais

– Dar um concerto com a criança e explorar diferentes sons e ritmos – usar tachos, colheres, embalagens, etc.

⁃ Ouvir e dançar diferentes tipos de música.

 

Competências Físicas

 

⁃ Correr

⁃ Andar de baloiço e escorrega

⁃ Saltar

⁃ Dançar

⁃ Nadar

 

A par destas actividades, os adultos devem estimular regras e rotinas. Estas vão fazer parte do dia a dia da criança quando entrar para a escola, por isso, porque não começar aos poucos a introduzi-las na sua vida?

Estas são apenas algumas sugestões, de actividades simples e acessíveis a todos, que promovem a aprendizagem e que preparam a criança para a entrada na escola e para a vida adulta.

 

-------------

Cunha, I.

Cunha, I. (2015). Promover competências chave para a preparação para o 1º ciclo – Up To Kids. Up To Kids. Recuperado em 10 de  dezembro de 2015, desde http://uptokids.pt/sem-categoria/promover-competencias-chave-para-a-preparacao-para-o-1o-ciclo/, às 21h.10min

Pesquisar

 

Ainda sobre nós

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Envie-nos a Sua Mensagem

Licença

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Acompanhe-nos no

Follow